Página 7

Agenciamento

O que é agenciamento literário?

No cenário internacional é raro um autor que não possui mediação de um agente ser publicado por editora. Já no Brasil, poucas empresas se encarregam de agenciar autores nacionais novatos, sendo a grande maioria em seus catálogos os escritores já consagrados e reconhecidos. Essas agências também estão voltadas para as vendas de direitos autorais de seus clientes para o exterior. Nos últimos dez anos, as editoras brasileiras têm dado mais espaço para autores nacionais iniciantes na mesma proporção em que o público-leitor vem crescendo e exigindo histórias mais próximas de sua realidade.

Muitos autores não entendem como funciona o meio editorial, e não sabem como encontrar uma editora que fale e trabalhe o seu público-alvo ou mantenha o melhor planejamento de lançamento e divulgação esperado. Não conhecem profundamente a lei de direitos autorais e nem quando esta pode recorrer a seu favor. Quem escreve nem sempre está familiarizado com os tipos de publicação – tradicional, sob demanda, independente – ou com os métodos de produção, edição, comercialização e distribuição.

É aí que entra a figura do agente literário, que assumirá o papel de mediador, dando as orientações adequadas ao autor, além de avaliar e preparar seus originais. O contato direto do autor com o editor pode não ser explorado da melhor forma possível, por isso o agente é essencial.

Qual é a atuação do agente literário?

O agente literário pode atuar em diferentes cenários. Existem editoras que possuem dentro da empresa agentes especializados em buscar novos talentos ou títulos promissores, principalmente em obras estrangeiras. Estes funcionários irão trabalhar seguindo os interesses da editora contratante. Também há agências especializadas só em adquirir e vender direitos autorais para o exterior, possuindo grande força fora do país. E as agências literárias especializadas em autores nacionais, que não só agenciam o autor para uma editora, como podem prestar serviços como leitura crítica, tradução, versão e revisão.

É imprescindível que um agente literário tenha um bom networking e entenda o mercado editorial tanto no cenário nacional quanto internacional.

Como contratar um agente literário?

Primeiro de tudo, o autor precisa pesquisar e procurar referências para saber qual agência irá melhor representar seu trabalho, levando em conta se seu livro se enquadra no catálogo da empresa. A Agência Página 7 trabalha no formato de submissões, que são abertas duas vezes ao ano. Nestas submissões, o autor poderá enviar informações e sinopse de seu livro e, nós da agência, avaliaremos. O autor também poderá solicitar uma leitura crítica, onde o agente fará um parecer avaliando se é adequado ou não para o mercado, ou contratar o serviço de revisão.

Após ler o original, e o agente se sentir seguro em apostar naquele título, um contrato será feito entre ambas as partes. Assim, o agente procurará a melhor casa para o livro, negociará o contrato da obra – esclarecendo todas as dúvidas do autor – e, se negociado antes, fará o trabalho de assessoria e divulgação.

Tudo dependerá do tipo de acordo fechado entre o autor e o agente. Contudo, a principal função do agente é ser um mediador entre o artista e a empresa, procurando sempre fazer a melhor negociação para o seu cliente. O autor precisa confiar no feeling do agente, ouvir suas sugestões e estar aberto a discutir suas incertezas. O mercado editorial é um mercado de apostas. O acordo de pagamento envolve uma porcentagem negociada sobre o valor dos direitos autorais recebidos, e pode ir de 10 a 30%.

Qual a missão da Agência Página 7?

A nossa proposta é trabalhar com autores que se interessam por histórias para adolescentes e jovens adultos. Sem preconceito de que a garotada só lê fórmulas prontas e enlatados estrangeiros. Acreditamos no potencial desse público-alvo por ser uma fase de transformações e, se conseguirmos plantar o hábito da leitura neles, se tornarão adultos melhores e mais instruídos. Além de podermos disseminar cada vez mais autores contemporâneos nacionais no mercado editorial brasileiro.